18/01/11

Atividades com Música

Atividade nº1.

-“Vamos levantar e andar... andar... Agora vamos nos espalhar... andando... andando, vamos caminhar até o parque...”
-“Vamos imaginar que perto de nossa escola há um lugar muito bonito! Um parque, onde há plantas, árvores, flores e passarinhos. Que tal fazermos de conta que vamos tomar lanche lá?”
-“Parem um pouco! Aqui há um rio. Como faremos para atravessá-lo? Ainda bem que há uma ponte. Vamos atravessar? Mas a ponte é tão estreita. Que faremos? (ouvir as sugestões das crianças)”
-“Vamos! Atrás de mim. Passando pela ponte, um atrás do outro.”
-“Já passamos pela ponte! Espalhem-se novamente e continuem a andar.”
-“Nossa! Quantos buracos no chão! Vamos saltá-los? Cuidado! Olhem outro buraco! Como podemos saltá-lo?”
-“Olhem a chuva! Vamos correr!”
-“Encontramos um barracão. A porta é estreita. Quantos cabem de cada vez? Vamos entrar e esperar a chuva passar.”
-“Ouçam o barulho da chuva! Vamos imitá-la! “
-“Está passando! Vejam o sol entrando pela janela. Já podemos sair”
-“Vejam! A chuva lavou as folhinhas das plantas. Ficou tudo muito verdinho! Que vontade de cantar! Vamos continuar nosso passeio cantando?”

MÚSICA: A chuva passou.

Oh! Que grama tão verdinha
Há florzinhas pelo chão.
De mãos dadas pelo caminhando
Vejo o sol a brilhar
Aquela chuva fininha
Já passou não vem mais não
Alegres vamos cantando
Que gostoso é caminhar.

Outra Sugestão:

-“Este lugar está ótimo para tomarmos o nosso lanche.
-Arrumem seus guardanapos e bom apetite!
-Vejam! O trenzinho que passeia pelo parque vem vindo!
-Gente. Uma surpresa! O maquinista disse que nos levará de volta. que bom! Vamos para o trem!
-Atenção, estamos descendo do trenzinho. Antes de terminar nosso passeio, vamos bater palmas:
* palmas para o maquinista!
* palmas para o trenzinho!
* palmas para todas as crianças!”

Lembre-se! Cada criança se expressa do seu jeito: umas se levantam mais depressa, outras mais devagar, umas andam próximas dos colegas, outras se espalham mais; umas estão mais predispostas a esse passeio imaginário, outras vão se interessando no decorrer da atividade.

Atividade nº2

Escutar os sons:

• Peça que as crianças escutem os sons voluntários e involuntários do corpo: mastigar, chupar um líquido pelo canudinho, bater palmas, estalar os dedos, estalar a língua, bater palmas com os pés, cair no chão de madeira, espirrar, fazer xixi, cuspir...
• Peça que as crianças escutem os sons do ambiente: porta batendo, campainha, água saindo da torneira, tesoura cortando papel...
• Peça que as crianças escutem sons da natureza: chuva, vento, cachorro latindo, gato miando...
• Peça que as crianças escutem sons de objetos diversos: relógio, brinquedos, chocalhos, sinos, caixas de fósforo, geladeira...
• Grave a voz das crianças e depois peça que escutem a gravação.
• Coloque discos e gravações no ambiente...

Atividade nº3

Sons no corpo

O professor propõe às crianças:
-“Vamos descobrir quais os barulhinhos que podemos fazer com a nossa boca?”
Algum tempo depois continua:
-“Quem quer mostrar aos coleguinhas os barulhos que descobriu?”
Após cada criança mostrar os seus barulhinhos, o grupo todo deverá imitar.

Tipos de sons que podem ser reproduzidos:
a)pé todo
* com força e suavemente contra o piso.
* saltar e cair sobre o pé com um golpe seco.
* arrastar o pé todo.

b) calcanhar
* arrastar o calcanhar sempre para a frente
* golpear o chão com o calcanhar, sem levantar o pé (suave e fortemente)
* movimentar a perna em pêndulo de modo a fazer o calcanhar roçar o chão
* golpear o calcanhar, um pé contra o outro.

c) ponta do pé
* arrastar-se para a frente na PONTA DOS PÉS.
* arrastar-se para trás na ponta dos pés.
* golpear o chão com a ponta do pé,sem levantar o calcanhar.
* golpear o chão com a ponta do pé, levantando o calcanhar.

Atividade nº4

Os sons da boca

Sentados em roda, peça aos alunos que experimentem os sons que podem produzir com a boca, que são variados e gostosos.
Cada criança mostra uma possibilidade, e as outras devem imitá-la. Elas gostam muito de vibrar os lábios com os dedos, de estalar a língua, de bater nas bochechas cheias de ar.
Pergunte o que acharam de cada som, qual mais gostaram de ouvir e de fazer. A seguir, uma das crianças produzirá um som com a boca que as outras vejam. O jogo consiste em descobrir o que o colega fez e tentar imitá-lo.
Esta atividade incentiva a criança a produzir sons, a se expressar, verificando as possibilidades sonoras com a boca.

Atividade nº5

Sons do ambiente

O professor estimula as crianças a descobrir os sons que as rodeiam, lançando propostas:
-“Vamos abrir as torneiras e ouvir o barulho da água? Quem consegue outro barulho diferente com a janela? E este lápis, faz algum barulho? Vamos, tentar descobrir outros barulhos?”
Algum tempo depois, cada criança vai mostrar sozinha os sons que descobriu. O professor deverá manter-se atento para comparar os diversos tipos e qualidades de som.
O saquinho deve estar cheio de desenhos ou recortes de revista, mostrando cenas ou objetos que tenham interesse para criança e estejam ligados à sua vida. Esses desenhos ou figuras devem dar a idéia de diversos tipos de som.

Exemplo: cenas de natureza, mostrando o mar (se a criança vive em região de praias), chuva, árvores balançando ao vento, etc. Também figuras de brinquedos, transportes ou objetos (peteca, avião, madeira sendo serrada, relógio, etc.)

Após o sorteio, a criança mostrará o desenho aos coleguinhas e fará sozinha, o som que, para ela, esteja mais de acordo com o desenho. Em seguida, os coleguinhas repetirão, em coro, o mesmo som.
Exemplos de alguns tipos de vozes de animais e efeitos de timbre que as crianças gostam de imitar
• vaca - um-hum ( na garganta);
• porco – (grunhido) roc-roc;
• galinha – co-có-có;
• galo – cocori – co-ó-ó;
• carneiro – me-é-é;
• cavalo – hiiiii...;
• cigarra – sssssssss;
• abelha – zzzzzzzz;
• sapo – qua-qua;
• sino – blém,blém/ dão-dão;
• campainhas – trim-trim;
• corneta – tá -tá –ta;
• tambor – plan – rataplan;
• buzina de carro – fonfom;
• trenzinho – tchu-tchu;
• apito de trem – piú-piú;
• trote de cavalo – poc,poc/ toc,toc;
• galope de cavalo – pacata, pacata;
• água corrente – chuá-á-á-á;
• zunir do vento – vum;
• máquina de costura – nheque-nheque

# O professor pede às crianças para imitarem os sons de sinos badalando com força. O roncar do avião distante, o apito do trem chegando, o miado do gato recém-nascido, o tambor rufante da parada militar, etc.
# O professor sugere às crianças que observem o que existe à sua volta, procurando lembrar de todos os sons que a rodeiam: sons da escola, da rua, de sua casa, da praça, da praia, etc. Em seguida, na rodinha, cada criança, individualmente, irá descrever todos os sons que costuma ouvir, recriando-os com seu corpo e sua voz. O grupo todo imita e repete os sons que foram produzidos.
# O professor propõe que numa certa ordem, as crianças passem a produzir os diversos sons e ruídos característicos de um lugar previamente escolhido. Por exemplo, o barulho da mata de uma fazenda: sons dos passarinhos, dos grilos, da brisa nas folhas da cachoeira, do rio passando, gritos de crianças que brincam, etc.

É importante , nessa brincadeira que, pouco a pouco, em intensidades diferentes, esses sons e ruídos possam ir se somando.

VARIAÇÃO – quando as crianças já souberem reproduzir vários sons e ruídos, imitando vozes de animais ou sons existentes na natureza, o professor poderá pedir que elas se dividam em grupos, montando peças sonoras, como por exemplo:

1º grupo                    2º grupo                 3º grupo             4º grupo

Som do vento      Som da chuva      Som do trovão      Som de galope de cavalo

Atividade nº6

Exercício de atenção e audição

Os alunos sentados, deverão escutar ordens que o professor falará com voz muito baixa. Ex: O professor fala.
1) Os meninos que estiverem de meia deverão ir até o centro da sala.
2) As meninas que estiverem de short deverão ficar de pé.
3) Os meninos de cabelos loiros, batem palmas.
4) As meninas de pulseiras, cantam tal música.

Pode-se dar ordens em que se verifique:
Cores - a menina de blusa amarela.
Tamanho- o menino maior.
Direção- o menino do lado esquerdo de Maria.

Pode-se dar ordens para realizar atividades referentes à música.
EXEMPLO: deverá cantar
• um som agudo, cantar seu nome, bater um ritmo ou cantar uma canção.
• ao movimento corporal – imitar uma flor nascendo, imitar o vento, imitar um sapinho
• à expressão facial – deverá ficar zangado, deverá ficar surpreso, deverá ficar alegre, deverá ficar triste.

Atividade nº7

Sons com os pés
Que som podemos fazer com os pés? Deixe que as crianças experimentem livremente. Coloque uma música de que as crianças gostem e peça que o ritmo seja marcado com os vários tipos de sons que podemos obter com os pés.
Depois elas ficam de costas e uma delas, acompanhando uma música, produz sons com os pés. O jogo consiste em adivinhar que movimento o colega está fazendo.
A atividade pode ser feita com as crianças calçadas e descalças. Este jogo possibilita diversas movimentações com os pés e o reconhecimento auditivo do esquema corporal.

Atividade nº8

Sugestões musicais
• ATIREI O PAU NO GATO: As crianças sentam em roda, cada uma recebendo um instrumento (ou qualquer outro material). O orientador pede ao grupo para criar sons diferentes com o instrumento. Aproveitando as criações mais originais, monta-se uma seqüência rítmica. Depois de montada e fixada a seqüência, é cantada a música. “atirei o pau no gato”.
• ESCRAVOS DE JÓ: Depois de formar três grupos, cada criança recebe meia folha de jornal. Cada grupo deverá fazer a mesma movimentação pedida na música Escravos de Jô, porém cada grupo jogará com o jornal de forma diferente. O primeiro grupo deverá jogar com o jornal aberto, passando-o abanando. Pedir as crianças que inventem novas ações para substituir os movimentos da 2ª frase da 1ª estrofe da música.

EXEMPLO:
1ª frase
Escravos de Jó
Escravos de Jó
Escravos de Jó
Escravos de Jô

2ª frase
Jogavam futebol
Lutavam karatê
Tocavam bandolim
Plantavam batatinhas

Pedir às crianças para cantarem a música toda, mas substituindo a 2ª fase (jogavam caxangá), por sons produzidos com a utilização de diversas partes do corpo. Exemplo: assobiar, assoprar, expirar, fungar, estalar a língua, fazer barulho de um beijo, barulho com os dentes, com os dedos da mão contra a base da outra com os calcanhares contra o chão, etc.

• O TREM DE FERRO: Os alunos colocam-se em fila única, mão direita para trás e mão esquerda para frente, segurando a mão do colega, formando assim, um trem. Ao som da música, o trem passeia pela sala. Quando é chegada a segunda estrofe, os dois primeiros, porém o trem deverá passar de marcha a ré.
• MARCHA SOLDADO: É formada uma fila, onde o primeiro guia os demais, acompanhando o ritmo da música Marcha soldado. Ao final da música, a fila pára. Quem estava guiando deve se encaminhar para o final da fila, enquanto o segundo cria um gesto rítmico seguido pelos demais. Essa marcação possibilita deslocamento rítmico do guia até o final da fila. A atividade reinicia com a música e com o novo guia.

Pai Francisco
Pai Francisco entrou na roda
Tocando seu violão!Da-ra-rão! Dão!
Dão! Da-ra-rão! Dão!Dão!
Vem de lá seu delegado
E pai Francisco foi pra prisão
Como ele vai todo requebrado
Parece um boneco desengonçado

# Brincar de roda, inventado movimentos de acordo com a lera da música
# Pedir a cada criança que invente um som e um movimento bem bonito para o “Seu Francisco”. Em seguida à apresentação de cada criança, o grupo todo imita.

Eu vi, eu vi:
• Para desenvolver o Esquema corporal, os alunos pegam uns aos outros nas partes do corpo mencionadas na música.
• Para dramatizar os animais, repetir a melodia depois de cada estrofe “falando” e se comportando como o animal citado.
• Adaptar a melodia de alguma canção conhecida.

Eu vi, eu vi-vi-vi
O seu Leão-ão-ão
Ele queria-a-a
Morder minha mão-mão-mão

Eu vi, eu vi-vi-vi
O seu Juiz-iz-iz
Ele queria-a-a
Ver meu nariz-iz-iz

• substituir Seu Leão e a última frase por:
- Seu Jacaré – pegar meu pé
- Dona Serpente – mostrar seu dente
- O Passarinho – bicar meu dedinho
- Dona Foca – beijar minha boca
- Seu Camelo – puxar o cabelo
- Dona Formiga – Coçar barriga
- Seu Pernilongo – picar meu ombro
- Dona Coelha – puxar a orelha
- Seu Piolho – Me olhar no olho
- Seu coelho – Pular no joelho

# Explorar e explicar as rimas. As próprias crianças podem adivinhar a parte do corpo que rima com o nome do animal.
# Sugestão para um jogo: cantar a música andando pela classe. Ao falar a parte do corpo, cada criança deve pegar essa parte no colega. Exemplo: pegar no joelho, no ombro, etc, e depois retornar a andar.

Atividade nº9
Brincadeira de roda: Onde está a Margarida?

Combine com as crianças que uma de cada vez irá dizer o que a margarida está fazendo, e todas, ao mesmo tempo, farão o gesto.
• - Onde está a Margarida?
• - Olé, olé, olá.
• - Onde está a Margarida?
• - Olé, olé, olá.
• - Ela está no meu castelo.
• - Olé, olé, olá.
• - O que ela está fazendo?
• - Olé, olé, olá
• - Ela está tomando banho.
• - Olé, olé, olá
• - O que ela está fazendo?
• - Ela está se enxugando.

E assim por diante, até que a brincadeira se esgote. Esta atividade envolve, além da memorização, a improvisação, a expressão gestual e a socialização, pois a criança tem que estar atenta ao que os outros fazem e esperar sua vez para se expressar.

Atividade nº10

Reconhecimento dos sons
• Apresente sons de instrumentos musicais.
• Peça que as crianças desenhem objetos que produzem sons.
• Peça que desenhem com cores diferentes, enquanto prestam atenção aos sons.
• Peça que as crianças confeccionem objetos que produzem sons (oferecer papel, grãos, latinhas com tampa, tampinhas de garrafa, botões, pedaço de madeira).
• Um grupo de alunos imita animais, em gestos e sons e o restante da classe procura reconhecer que animais estão irritados.
• Imitar sons de objetos, instrumentos e máquinas, tais como sino, motorzinho do dentista, motocicleta, avião.
• Pedir para as crianças sentem no chão em círculo, mas com as pernas viradas para fora, de forma que todos fiquem de costa para todos. A professora entra no círculo e, quando tocar uma criança, ela deve dizer uma palavra combinada antes. As outras crianças devem dizer se a voz é de menino ou menina, e o nome da criança que falou.

Atividade nº11

Intensidade (forte/fraco)

A) Para estimular as crianças e entrar em contato com a intensidade sonora, você pode pedir a elas que batam com força uma bola no chão e deixam cair. Pergunte-lhes o que há de diferente no som produzido pelas duas ações. E seguida, utilize as duas ações em cada uma das bolas. Converse novamente com elas sobre o som obtido, explicando-lhes que deverão representar graficamente os sons fortes e fracos que foram produzidos com cada uma das bolas.

B) O professor propõe: vamos cantar forte, mas sem gritar. Agora vamos cantar baixinho, de leve. Variação – divisão das crianças em dois grupos. O professor propõe que um grupo cante a 1ª estrofe de leve, e o outro, a 2ª estrofe, forte.

C) Junto com as crianças, bata as mãos, no chão ou na mesa, dizendo forte... forte... quando baterem forte e fraco...fraco... quando baterem fraco; sempre num ritmo preciso e constante.

• Enquanto as crianças palmeiam, vá dizendo: forte...forte...fraco...fraco... Observação: Muitos outros sons podem ser explorados quando se trabalha a intensidade. Exemplos: bater as mãos nas coxas, bater os pés no chão, estalar os lábios como um beijo, soprar, dizer uma vogal, cantar, dizer uma quadrinha...

D) Percuta um instrumento, alternando a intensidade, ora forte, ora fraco, em intervalos de tempo sempre iguais. Simultaneamente, as crianças acompanham o ritmo ouvido, batendo palmas. Observação: Você só deverá mudar a intensidade das batidas quando perceber que a maioria das crianças está acompanhando. Faça interrupções repentinas; elas são excelente recurso didático, pois, além de exigirem redobrada atenção da criança caracterizam a atividade como um jogo desafiador.

E) Percuta, alternadamente, três batidas fortes e três batidas fracas em um instrumento qualquer, em ritmo sempre igual, enquanto as crianças permanecem atentas. A criança reproduzem os sons imediatamente, com palmas ou percussão de um instrumento, observando as intensidades forte e fraca.

F) O professor propõe que as crianças formem uma fila indiana, por ordem de tamanho, imitando um trem e imitando ruídos de “tch tch”. Com um pandeiro, o professor comandará o andamento do trem, que começará lentamente, até, progressivamente, começar a correr, fazendo curvas ou retardando a marcha. Ao mesmo tempo, o professor continua a dirigir a atividade, propondo diferentes situações. O trem está longe da estação. Agora está se aproximando. Está bem perto, está se afastando, aumentou a velocidade, está parando, etc.

VARIAÇÕES – (introduzindo exercícios de respiração)
• Sem sair do lugar, as crianças imitam o ruído de saída, viagem e chegada do trem.
A um sinal (que representa a parada do trem), todas as crianças inspiram de repente como se estivessem tomado um susto. Em seguida, o professor comanda a expiração das crianças, que será feita lentamente.
• O professor propõe situações para dirigir a inspiração e expiração das crianças. Vamos balançar a chama de uma vela, sem apagá-la? Vamos imitar um cachorrinho cansado?
• Propõe ao grupo de crianças que imitem, em conjunto, sons como o canto de cigarras, zumbindo de abelhas, barulho de vento, rio, mar, chuva, trote de cavalo, etc. Esses sons irão variar de intensidade, aumentando ou diminuindo, conforme as situações que forem imaginadas e propostas. Ex: as abelhas estão bem longe da gente (som fraco). Agora estão chegando pertinho (crescendo). Estão junto da gente! (som forte). Agora estão começando a ir embora (diminuindo). Desapareceram (silêncio).

 Colaboração da amiga e professora

Miriam  Capella

Nenhum comentário:

Postar um comentário